12.2.16

A Coruja e a Raposa

Antes da existência humana

Quando a terra ainda era jovem
Uma coruja solitária voava num fim de tarde
em busca de refeição.

Sem aviso,
O vento mãe irrompeu numa tempestade
e a coruja foi soprada para debaixo dos arbustos.

Decidiu esperar que a tempestade passasse,
e não arriscar a voar pelos ventos irados.

Olá - disse uma voz, com som matreiro.
A coruja virou-se e viu uma raposa vermelha.



Porque é que estás aqui debaixo do arbusto?
- perguntou a raposa à coruja.
A tempestade arrastou-me até aqui,
irei embora assim que os ventos acalmarem.


Talvez nos possamos ajudar uma à outra - aliciou a raposa.
E como faríamos isso?
Bem, sempre me disseram que as corujas são astutas.
E eu sempre ouvi, que as raposas são espertas.





De facto, somos. E esta raposa teve uma ideia…

O quê, rezar, é isso? – indagou a coruja.
Bem, eu acho que podemos fazer uma boa equipa.
De que maneira?

A coruja piou alto e a raposa rosnou ainda mais alto.
Bem, quando eu caço, todos os animais fogem do arbusto.
A coruja percebeu a ideia da raposa.

E quando eu caço, os animais fogem para o arbusto.

Então, se caçarmos juntas… – pensou alto a coruja.
Temos sempre que comer! - conclui a raposa.
Parece uma boa ideia!
A raposa esfrega então a barriga, por antecipação.
Lentamente, os ventos esmoreceram
e o que era ideia passou a realidade.
A coruja e a raposa
partilharam uma saborosa refeição.
A coruja falou de coisas astutas
contou como os ventos sussurram
e porque é que as águas lembram os nossos nomes
mesmo quando as rochas adormecem.
A raposa falou de feitos espertos
de como se transforma gelo em fogo,
e como funcionam as correntes.
Até como os trovões se formam.

Continua...


21.11.15

Só no Japão!

Já imaginou os manequins na montra da loja a ganharem vida? Parece coisa de filme, mas não… uma loja japonesa em Shibuya, a United Arrows, investiu numa montra com robots marionete que “imitam” o movimento das pessoas na rua, graças a um sistema de sensores motorizados ligado ao Kinect.

Desta forma, é possível mudar a posição do manequim e ver a roupa em diferentes perspetivas e vertentes, interagindo com os potenciais compradores. 
Nem é preciso dizer o quanto aumentaram a visibilidade e o fluxo da loja, não é verdade?




Colaborem, comentem, critiquem, enviem sugestões.


Essa é a melhor parte do nosso trabalho. Aguardam-se Senhorasideias!

15.11.15

REPLAY store: clothes have a story

Barcelona exala arte, moda, tendências e cultura. Mais que a capital da Catalunha, é uma das grandes cidades do Mediterrâneo, um museu a céu aberto. Moderna e ao mesmo tempo clássica, famosa pela sua arquitetura, pelas vanguardistas lojas e pela sua vida animada.

Na vibrante cidade cosmopolita, caminhar pelas Ramblas é imprescindível, o turismo das compras é sempre um bom motivo, mas a razão da nossa visita foi espreitar as tendências do retail, no país vizinho. O Passeig de Gràcia é sem dúvida o lugar ideal para nos deixarmos encantar…

Foi paixão à primeira vista a Replay Store, e uma experiência relaxante para a mente e para o corpo. Está localizada entre dois dos mais belos e famosos edifícios de Antoni Gaudí: a Casa Batlló e Casa Milà. O ambiente é aconchegante e convida-nos a entrar.


A mistura de alta tecnologia e do vintage sob o mesmo teto não é fácil de conseguir, mas quando bem feito, funciona em benefício de ambos.
Duas cascatas gigantes e jardins verticais dão as boas-vindas ao cliente. Um oásis de paz e tranquilidade, onde nos sentimos longe da agitação da cidade, num ambiente dramático e brincalhão com cachoeiras, um lago, manequins acrobatas, esculturas e materiais contrastantes.


As montras encontram assim uma nova razão de ser. Em consonância com a tendência emergente, quando anteriormente se apresentam apenas como um mero lugar de exposição do produto, agora são um lugar experiencial, tomando assim mais espaço e menos produtos.


As peças tornam-se um subproduto da experiência que é, na minha opinião, uma tendência muito interessante a notar. Estamos a transitar de um universo onde os produtos faziam o show na montra, para outro universo onde os produtos são parte de um programa mais global.

Esta mesma experiência continua na própria loja, que oferece diferentes espaços e de forma heterogénea, para apresentar as coleções. Apesar de tudo o que contribui para um ambiente unificado, carregado com peças, histórias e vidas interiores, acho que é notável observar que o mobiliário que expõe, é extraordinariamente diferente e longe dos expositores tradicionais do setor.
Estão presentes vários objetos vintage na loja: uma bicicleta antiga, walkmans velhos, aparelhos eletrónicos antigos... Tudo isso contribui para o nosso sentimento em casa de uma pessoa, em vez de nos sentirmos num espaço comercial.


Esta loja é incrivelmente poderosa em termos de experiência do cliente. E nada faltou… O atendimento foi uma extensão natural da experiência!
A combinação do belo edifício, a montra como jardim, a atmosfera que sentimos ao entrar e a forma como os produtos são exibidos, criam um ambiente único!

"As emoções têm prioridade sobre os aspetos comerciais - nós queremos cuidar de nossos clientes, porque a sua satisfação é o nosso principal objetivo ". M.S. CEO da Replay.
 
A não perder !!

Essa é a melhor parte do nosso trabalho. Aguardam-se Senhorasideias!

12.11.15

Singularidades interactivas




As lojas são muito mais que simples expositores de produtos. 
Já não é novidade, passar por uma montra qualquer e perceber que algo interage connosco, nos faz parar e querer ficar por ali um pouco mais, sem que saibamos porquê. O tempo em que o consumidor, só entrava numa loja, quando via algo de interessante exposto, acabou. O tempo das relações passivas, passou.
Hoje, somos mais exigentes, e as marcas sabem disso, elas habituaram-nos a grandes produções, cenários de luxo e muito glamour mas será isso suficiente?
As marcas sabem que não! Conhecem-nos bem e sabem que têm que ir atrás de “nós”!
Na era do touch, da realidade aumentada e hologramas, as marcas estão já no encalço da próxima geração, vários vídeos conceptuais mostram isso mesmo.
A sétima arte tem antecipado muitas tecnologias hoje utilizadas, este video mostra um protótipo, de uma montra, desenvolvido pela +RehabStudio, que reconhece quem se aproxima dela transformando a montra num ecrã, que exibe apenas os artigos que interessam ao consumidor, com base no histórico digital do individuo. 




Brutal ou bruto? Fica a questão!


8.11.15

Ghost, o manequim invisível

Usar manequins para as imagens de produto é uma maneira eficiente e de baixo custo para promover a roupa.
Mas fotografar vestuário não é uma tarefa tão fácil quanto parece! É preciso ter paciência e dedicação. Hoje as marcas, com o aumento do e-commerce, investem cada vez mais em boas fotografias para a promoção do artigo para venda.

Existem várias maneiras para fotografar roupa…

ROUPA COM MANEQUIM 
A peça de roupa ou a produção de um look é feita sobre o manequim, e a foto feita em estúdio. A luz mais uma vez, junto com o fundo, é muito importante para não apagar cores como o branco. Hoje existem vários modelos de manequins, vale a pena ousar num modelo mais moderno. 


ROUPA COM MANEQUIM INVISÍVEL 
Uma excelente alternativa é criar um efeito fantasma no manequim. Na minha opinião, a melhor!
A imagem tem efeito tridimensional. Consegue-se ver a parte interna da roupa, mantendo o formato do corpo do manequim. Dá bastante trabalho, porque são feitas várias imagens que serão sobrepostas na pós-produção… mas o efeito é fantástico, não?! Este estilo é o mais usado atualmente. 
Este manequim apresenta-se com partes removíveis, pois assim é possível configurá-lo para cada tipo de roupa. Se precisarmos de tirar uma foto a uma camisa com decote profundo em V? Basta remover o módulo pescoço.
As fixações por íman permitem ajustar o manequim em relação à peça a fotografar, com facilidade, para ser rápido o manuseamento.
Manequins em branco mate tendem a ser não-reflexivos, com fundos brancos, o que tornará a edição da imagem uma tarefa muito mais fácil.


ROUPA FLAT 
As roupas são fotografadas sobre uma superfície plana, mas é preciso técnica para o posicionamento das peças.


ROUPA PENDURADA EM CABIDES 
Aqui dá para criar um estilo bem personalizado, conforme a produção das roupas e o tipo de peça. Vale deixar o cabide aparecer ou não, brincar com o fundo e iluminação. 


ROUPA COM MODELOS
Não posso deixar de falar sobre as fotos feitas com as modelos de carne e osso… mas elas não caracterizam o still life. Para quem adota este estilo, vale lembrar que o custo da modelo deverá ser incluso nos gastos. Mas muitas marcas aproveitam as fotos feitas para catálogos, campanhas e lookbook para a venda virtual das peças. 



Colaborem, comentem, critiquem, enviem sugestões.

Essa é a melhor parte do nosso trabalho. Aguardam-se Senhorasideias!

1.11.15

Novembro, porque já é quase Natal…

E porque já é quase Natal...

E porque gosto do espírito, da magia, das cores, de tudo, tudo tudo... e, porque para uma grande parte das lojas, o Natal é a melhor época de vendas é de falar sobre a decoração comercial desta altura do ano.

As lojas de vestuário são as que mais decoram para o Natal, mas todas as lojas têm a ganhar se apostarem num decor natalício. Uma decoração feita especialmente para a época, é fundamental porque lembra os clientes que têm que comprar presentes e principalmente porque impulsiona a mais compras, pois muda-lhes a disposição para um espírito natalício.
Não existe calendário oficial para a decoração natalícia no comércio, mas o ideal será a partir do meio de novembro. 
A montra é a área principal que se deve decorar. Com baixo custo, poderá utilizar vinil autocolante com figuras, ou motivos geométricos ou mesmo frases da época no vidro. Há também várias opções de plantas, ou mesmo troncos de árvore que mesmo isolados podem apresentar ótimos resultados, less is more




As embalagens de oferta também poderão ser uma boa opção! Caixas, laços, embrulhos, podem resultar em fantásticos cenários, bem como pequenos complementos para utilizar nos próprios manequins, é TOP a Cervus Headband concebida para esta época!


O interior da loja não deverá ser menos lembrado, mas não deverá ficar esquecido... É menos caro do que decorar a montra e pode, inclusivamente, usar os materiais que usou no ano anterior no exterior, e este ano ao colocá-los, estará a reutilizá-los. Se a montra ajuda a fazer entrar as pessoas na loja, a decoração interior ajuda a que essas pessoas se tornem compradores. Os clientes devem sentir o mesmo espírito natalício que sentiram na montra, quando entram na loja. Abuse de taças com luzes, azevinhos, velas, bolas de uma só cor, pinhas… Ou mesmo a tradicional árvore, sem esquecer a música festiva e uma bomboneira apetecível… 



Nem todas as lojas podem decorar o exterior da fachada. Mas se não houver nenhum impeditivo, então deve-se decorar o exterior da loja. Faz reforçar o apelo da montra, principalmente à noite. Plantas ou luzes serão soluções simples e apetecíveis e podem complementar a decoração da montra.


Colaborem, comentem, critiquem, enviem sugestões.


Essa é a melhor parte do nosso trabalho. Aguardam-se Senhorasideias!